Defesa Civil começa a vistoriar casas destruídas por chuva de granizo em Nova Iguaçu

Os temporais atingiram 18 bairros de Nova Iguaçu. Se os consumidores perceberem um aumento abusivo no valor das telhas, devem procurar o Procon do município.

A Defesa Civil do Estado do Rio de Janeiro começou, no domingo (27), a fazer vistorias nas casas destruídas pelas duas chuvas de granizo que caíram em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, na sexta (25) e no sábado (26).

Ao longo do fim de semana, mais de cinco mil pessoas se cadastraram para receber a visita da Defesa Civil. Os temporais atingiram 18 bairros do município.

“Eu tive que colocar uma lona lá em casa. Gastei R$ 150 para poder conseguir dormir. Isso faz falta”, destacou um morador, afirmando que os preços das telhas foram reajustados no comércio da região.

A Prefeitura de Nova Iguaçu afirmou que, se os consumidores perceberem um aumento abusivo no valor das telhas, devem procurar o Procon do município.

Escolas e bibliotecas também foram atingidas pelas pedras de gelo. O prefeito da cidade havia decretado estado de calamidade pública,  mas afirmou que mudará o status para estado de emergência.

“Como não houve vítima fatal, temos que enquadrar nessa situação de emergência. Vamos brigar para liberem o FGTS das pessoas”, destacou Rogério Lisboa.

O governador Wilson Witzel chegou a visitar algumas casas atingidas.

“Estou conversando com o prefeito e vamos reunir empresas que fornecem as telhas de amianto para comprar algo em torno de cem mil telhas”, disse o governador.

Comentários