Deputado federal e mulher trocam cusparadas e ofensas em universidade no RJ

Caso aconteceu na última sexta-feira (6) em Petrópolis e vídeo está circulando nas redes sociais.

O deputado federal Daniel Silveira (PSL) e uma mulher se desentenderam na última sexta-feira (6) na lanchonete de uma universidade particular onde o político estuda em Petrópolis (RJ) e trocaram cusparadas e ofensas.

Um vídeo da discussão foi gravado pelo próprio parlamentar e está circulando nas redes sociais.

"Tô aqui quieto na faculdade tomando meu café, não sei o nome dessa cidadã. Ela falou que aqui é mal frequentado. Me olhando [...]"

A mulher diz que o deputado a chamou de gorda. "Fala que você me chamou de gorda", disse.

"Eu? Opa, você tá falando por mim. Imagina se eu te ofendo falando que você tá obesa. O que é fato, mas isso não me diz respeito, eu poderia atacá-la dessa maneira, mas ela me atacou diretamente", respondeu Daniel.

"Você é ridículo, fascistas não passarão", disse a mulher, que logo após, cospe no deputado.

"Se você me cuspir eu vou te levar presa. Faz de novo pra você ver se eu não te algemo e te levo presa aqui", ameaça o parlamentar.

"Me algema, me algema", diz a mulher.

O deputado então cospe na mulher, que depois cospe nele pela segunda vez. Após a segunda cuspida da mulher, o parlamente a empurra.

"Você me bateu", reclamou a mulher. "Estou te empurrando para você sair de cima de mim", diz o deputado.

No final do vídeo, a mulher ameaça chamar a polícia, e ele diz para ela chamar.

Nenhum registro de ocorrência sobre o caso foi realizado.

A assessoria do deputado informou que a mulher "não registrou ocorrência alguma, pelo menos até este momento, pois nem mesmo os colegas de turma da faculdade a apoiaram na sua agressão ao deputado. Quando ela viu que exagerou na dose, simplesmente foi embora".

A Universidade Estácio de Sá lamentou o ocorrido e disse que repudia qualquer ato de violência.

"Este caso não reflete os valores praticados dentro da instituição. Além do compromisso de formar alunos preparados para o mercado de trabalho, está entre sua missão formar cidadãos conscientes do seu papel transformador na sociedade. É importante ressaltar que nenhum dos envolvidos procurou a direção do campus para relatar o ocorrido”, diz a nota da instituição de ensino.

 

A produção desta reportagem não conseguiu localizar a mulher.

Fonte: G1

Comentários