Pacientes aguardam em longas filas em hospital da mulher em Xerém

Mulheres com filhos pequenos e aposentadas esperam em pé por horas. Prefeitura disse que vai melhorar atendimento com central telefônica.

Mulheres que procuram atendimento no Centro de Referência e Atenção à Mulher, em Xerém, distrito de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, enfrentam enormes dificuldades há meses. Filas enormes e falta de médicos fazem com que centenas de pessoas fiquem por horas em pé do lado de fora da unidade.

“ Cheguei quatro e meia. Meu número é o 256”, disse uma paciente. Nesta quinta-feira (8), a maioria dos pacientes tentava vaga para a ginecologista, pediatra e ortopedista.

Nádia Cristina da Silva chegou às 3h para tentar uma consulta pediátrica para seu filho Nicolas, de apenas dois meses.

"Eles falaram é que a segunda consulta teria que remarcar, eu teria que vim pra fila, eu vim pra fila, peguei o número 56, a partir da segunda consulta seria remarcado no consultório mas não aconteceu. Eu liguei, expliquei: 'gente eu tenho um bebê de dois meses, como é que eu vou ficar nessa fila? E se eu não chegar cedo, como é que eu vou ficar com esse bebê aqui no colo na friagem'?", questionou.

A produção desta reportagem  foi hostilizada por pessoas que tentaram atrapalhar o trabalho da equipe.

Aroldo Brito, secretário de comunicação de Duque de Caxias, afirmou que a prefeitura repudia tais atitudes, e que haverá mudanças nos próximos dias referentes ao atendimento.

"A partir da próxima semana estará instalado uma central telefônica com 40 funcionários para atender todas as marcações de consulta do município. O sistema de saúde vai estar marcando por telefone, não precisando o paciente ir à porta do hospital presencialmente para ter esse sacrifício de chegar de madrugada e encarar longas filas. A prefeitura não contrata maus funcionários, nem bandidos para trabalhar nos nossos quadros, todos os nossos funcionários são treinados para tratar bem a todos as pessoas e principalmente a imprensa do nosso país " diz em nota.

Fonte: G1

Comentários