Pensionista é carregada em maca até banco para provar que está viva

Márcia Galvão de Mello, de 59 anos, está internada em um hospital de Rio das Ostras (RJ) há 24 dias com uma artéria entupida.

A pensionista Márcia Galvão, de 59 anos, foi a um agência de um banco para comprovar estar viva nesta terça-feira (23), em Rio das Ostras, no interior do Rio, carregada em uma maca. O flagrante foi feito por um morador que passava pelo local.

Segundo a filha da pensionista, Monica Galgão, Maria teve que comparecer na agência mesmo estando internada há 24 dias no Hospital Municipal com uma artéria da perna entupida.

A paciente foi para o local em uma ambulância do município para a comprovação. A família informou que teve que sair do veículo, pois os funcionários do banco não quiseram atender na ambulância.

 

" Eles disseram que não pudiam vir. Pegamos e entramos com ela, com a maca e tudo, dentro do banco", disse a filha.

 

O registro foi feito por Edivaldo Dutra, que estava passando pelo local e viu a cena revoltado.

 

"Me senti indignado, indo no banco fazer uma prova de vida. Por que o banco não chegou até a ambulância?", disse.

De acordo com a família, o pagamento da pensionista foi bloqueado no último mês, sem aviso prévio. A partir daí, os parentes foram em busca de uma procuração para tentar receber. No dia 17 de julho, eles conseguiram, mas disseram que teriam que ir até o Rio de Janeiro, no INSS, para consolidar o documento.

Uma lei estabelece que os segurados com idade acima de 80 anos e beneficiários com dificuldades de locomoção podem agendar pelo telefone 135 para que um servidor do INSS vá à residência ou a outro local para que seja realizado o procedimento de prova de vida.

A família informou que o INSS não ofereceu esse serviço e, como não podiam ir ao Rio, decidiram levar Márcia até a agência do banco.  A produção desta reportagem aguarda um posicionamento no INSS sobre o caso.

Procurado pela produção desta reportagem,  o banco explicou que para realizar a prova de vida é preciso colocar a senha cadastrada ou capturar a biometria do próprio beneficiário, procedimentos que devem ser executados dentro da agência, por isso os funcionários não são autorizados a sair.

O banco informou também que os beneficiários são avisados por meio dos terminais de autoatendimento 45 dias antes do vencimento de sua prova de vida.

Fonte: G1

Comentários