Solidariedade anuncia expulsão de Dr. Jairinho do partido

Vereador compõe o Conselho de Ética da Câmara de Vereadores do Rio. Ele é suspeito de ter agredido o enteado Henry Borel, de 4 anos, e foi preso por atrapalhar as investigações e ameaçar testemunhas.

O partido Solidariedade anunciou, no início da tarde desta quinta-feira (8), que vai expulsar, de forma sumária, o vereador Jairo Souza Santos Junior, o Dr. Jairinho, da sigla.

Antes, pela manhã, o partido informou que iria afastá-lo. O anúncio foi feito em nota após ele ter sido preso pela investigação do caso Henry Borel.

"Diante dos novos fatos revelados, a Executiva Nacional do Solidariedade, em conjunto com a Estadual do partido, resolve expulsar, de forma sumária, o vereador Dr. Jairinho", anunciou o partido.

Em outra nota mais cedo, a sigla manifestou "repúdio a todo e qualquer tipo de maus tratos e violência, principalmente contra crianças e adolescentes".

Henry foi encontrado morto no dia 8 de março no apartamento em que Monique vivia com Jairinho. O casal foi preso por indícios de homicídio duplamento qualificado – com emprego de tortura e sem chance de defesa para a vítima.

Comissão de Ética

A vereadora Teresa Bergher (Cidadania) afirmou que vai pedir ainda nesta quinta-feira (8) o afastamento do vereador Dr. Jairinho.

Bergher é autora do pedido que criou o Conselho de Ética, que se reúne às 18h desta quinta-feira na Câmara de Vereadores. O próprio Dr. Jairinho é integrante do Conselho de Ética.

"Ele precisa ser afastado imediatamente. Pela imagem da casa, pela credibilidade de cada um de nós vereadores e por respeito a esta criança vítima de um cruel assassinato e a toda a população que representamos”, disse Teresa.

Relembre o caso

Henry foi encontrado morto no dia 8 de março no apartamento em que Monique vivia com Jairinho. O casal foi preso por atrapalhar as investigações e por ameaçar testemunhas para combinar versões.

A polícia suspeita que Jairinho tenha agredido a criança e que a mãe sabia. Investigadores acreditam, ainda, que, semanas antes da morte, Henry foi torturado pelo vereador, também com conhecimento da mãe.

A produção desta reportagem  tenta contato com a defesa do casal. Até então, eles negavam qualquer envolvimento com a morte de Henry.

 

Fonte: G1

Comentários