Justiça nega liberdade a fazendeiro acusado de ajudar Lázaro Barbosa a fugir da polícia em Goiás

Pedido foi feito por um anônimo. Investigação apontou que ele abrigou Lázaro em sua propriedade. Criminoso era suspeito vários crimes e morreu durante confronto com a polícia.

O desembargador Ivo Favaro negou um pedido de liberdade para o fazendeiro Elmi Caetano Evangelista, de 73 anos, denunciado por ajudar Lázaro Barbosa a fugir da polícia em Cocalzinho de Goiás. Lázaro morreu em confronto com policiais, após ser procurado por 20 dias por uma força-tarefa de 270 policiais.

O advogado de defesa do fazendeiro disse que o pedido de habeas corpus (HC) foi feito por um anônimo que não faz parte de sua equipe. A defesa sempre negou envolvimento do cliente com Lázaro. A produção desta matéria não localizou a pessoa que entrou com o pedido de habeas.

O desembargador negou o pedido porque a pessoa apresentou apenas o número de Registro Geral (RG) do fazendeiro e deixou de apensar os dados da investigação.

"Constata-se que o impetrante juntou apenas seu documento pessoal, o que impede analisar o presente", escreveu o magistrado.

Elmi Caetano está preso desde 24 de junho. A defesa disse que tem um pedido de liberdade a ser analisado, que foi feito em sigilo.

 

"Friso não ser ônus do julgador, mas do impetrante, anexar a documentação para instruir o feito", disse o desembargador na decisão.

 

De acordo com a sentença, publicada em 3 de julho, o autor do pedido alegou que dispensou demais informações porque "o que é público e notório dispensa comprovação".

 

Fonte: G1

Comentários