Polícia prende homem que aliciava jovens atletas do futebol e os mantinha em cárcere privado em Xerém

Sob a falsa promessa de treinar e encaminhar os meninos para grandes times de futebol, ele cobrava de R$ 400 a R$ 500 de cada família, mas deixava os atletas confinados em Xerém, Duque de Caxias.

A 61ª DP (Xerém) investiga se Jorge Valnei dos Santos, preso por manter em cárcere privado jovens de vários estados com a promessa de levá-los a clubes de futebol, administrava o esquema de dentro da cadeia e teve ajuda de outras pessoas. Na delegacia, ele disse que só falaria sobre o caso em juízo.

Jorge já havia sido preso pelo mesmo crime em 2020. A Polícia Civil estima que ele já possa ter arrecadado mais de R$ 100 mil.

O dinheiro vinha do pagamento de quantias mensais pelos pais das vítimas, acreditando que ele levaria seus filhos para clubes profissionais.

“Se ele foi preso na primeira vez, há menos de um ano, mais a situação atual, ele teria pelo menos R$ 100 mil, considerando que cada família paga entre R$ 400 e R$ 500 para um CT que seria uma indicação para um futuro profissional, o que não vimos até agora”, declarou a delegada Juliana Emerique, titular da delegacia.

Jorge Valnei dos Santos foi preso por cárcere privado contra menores de 18 anos (cuja pena varia de 1 a 3 anos de prisão); obter vantagem ilícita com vítima criança ou adolescente; e destruição de documento público para atrapalhar as investigações.

 

Polícia do Rio libertou crianças e adolescentes que eram mantidos em cárcere privado em sítio em Xerém, na Baixada Fluminense  — Foto: Reprodução/ TV Globo

Polícia do Rio libertou crianças e adolescentes que eram mantidos em cárcere privado em sítio em Xerém, na Baixada Fluminense — Foto: Reprodução/ TV Globo

O sítio, localizado na Rua Menegueli, nº 19, no bairro Aviário, em Xerém, Duque de Caxias, abrigava um jovem e outros 16 menores de idade, entre 13 e 17 anos.

Os aspirantes a jogadores profissionais vinham de diversos estados, como Alagoas, Amazonas, Pará e Goiás.

Jorge, segundo as investigações, mantinha com ele todos os documentos dos jovens: carteira de identidade, CPF, cartão bancário, cartão do SUS e de vacina, dentre outros.

“Fomos ao sítio e, diferente do primeiro caso em que ele deixava as crianças e adolescentes desinformados, agora ele começa a instruí-los. E aí estes jovens acreditam que estar sem os documentos em momentos do dia seja normal, o que não é certo. Eles precisam ter a liberdade de ir e vir 100%”, afirmou a delegada.

Nenhum dos jovens estava estudando, e Jorge era o único responsável por comprar o que eles vestiam, comiam e usavam como medicamentos.

Questionado na delegacia, Jorge Valnei dos Santos disse que só falaria em juízo sobre o caso. Ele será encaminhado para o sistema prisional ainda nesta sexta-feira (23).

Adolescentes eram mantidos em cárcere privado em sítio em Xerém, Duque de Caxias, na Baixada Fluminense — Foto: Reprodução/ TV Globo

Adolescentes eram mantidos em cárcere privado em sítio em Xerém, Duque de Caxias, na Baixada Fluminense — Foto: Reprodução/ TV Globo

 

Fonte: G!

Comentários