Média de mortes por covid-19 no Rio cresceu 33% em duas semanas

Duque de Caxias tem 94% dos leitos de UTI ocupados

O Rio de Janeiro chegou ontem à maior média móvel de mortes por covid-19 desde o dia 26 de junho. De acordo com o painel de dados Monitora Covid-19, da Fundação Oswaldo Cruz, o estado registrou a média diária de 142 óbitos nos últimos sete dias, patamar que representa um aumento de 33% em relação a duas semanas atrás.

Na capital fluminense, o número de casos também subiu em cerca de 30% na comparação com o verificado há 14 dias. Nesta sexta-feira, a média móvel dos últimos sete dias no Rio ficou em cerca de 68 mortes a cada 24 horas.

Pesquisadores da Fiocruz tem alertado que o estado do Rio de Janeiro caminha em direção contrária ao país, que apresenta queda nos óbitos e está na menor média móvel de óbitos. A capital já é considerada epicentro da variante Delta, que se tornou dominante em relação às outras cepas do novo coronavírus.

O Observatório Covid-19 da Fiocruz destacou, em seu último boletim, que considera que o estado do Rio de Janeiro é o que mais preocupa em relação à taxa de ocupação de leitos de terapia intensiva para covid-19. As cidades da região metropolitana da capital com os percentuais mais críticos são: Belford Roxo, com 100% de ocupação, Rio de Janeiro, com 96%, e Duque de Caxias, com 94% dos leitos de UTI para coronavírus ocupados.

 

Fonte: Agência Brasil

Comentários